Uso de rede social e participação social

Sonia Lara, Concepción Naval

Resumo


Existem inúmeros estudos recentes que descrevem a penetração do uso de redes sociais entre os cidadãos mais jovens e os não tão jovens. Estes meios são caracterizados como tendo um grande potencial para promover a socialização e o sentimento de pertencimento a uma comunidade; no entanto, existem resultados de pesquisas relativas ao contrário, ou seja, que as redes não estão influenciando o desenvolvimento de uma maior participação cívica de forma real. Neste trabalho, esta questão foi analisada à luz dos desafios educacionais que são apresentados por redes sociais como promotoras da participação social. Segundo um estudo da consultoria Experian Hitwise, a rede social Facebook foi o site mais visitado nos EUA, entre 6 e 13 de março de 2010; anteriormente, esta posição tinha sido usualmente ocupada pelo motor de busca Google, ainda segundo dados da Experian Hitwise. O Facebook capturou 7,07% do tráfego de Internet, enquanto o Google recebeu apenas 7,03%. O referido estudo comparou apenas o Facebook.com e o Google.com, sem levar em conta outros sites pertencentes ao Google, como Gmail, Google Maps e YouTube. Se estes sites fossem levados em conta, o tráfego para o Google teria atingido 11,03%. De acordo com Matt Tatham, diretor de comunicações da Hitwise, esses dados mostram que “a partilha de conteúdos tornou-se uma força enorme na Internet”.

Palavras-chave


Redes Sociais; Tecnologia Educacional; Comunicação

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13037/ras.vol6n1.59

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Informática Aplicada - USCS/UFABC