Práticas educativas dialógico-problematizadoras no contexto da formação e profissionalização docente mediada por tecnologias em rede

Daniele da Rocha Schneider, Elena Maria Mallmann, Sérgio Roberto Kieling Franco

Resumo


O objetivo deste artigo é a análise crítico-interpretativa dos impactos da fluência tecnológico-pedagógica na organização e dinamização de práticas educativas dialógico-problematizadoras em cursos de formação de professores. Conforme os princípios da educação dialógico-problematizadora freireana, priorizou-se conceitos como a interação, interatividade, colaboração e monitoramento, os quais funcionaram como categorias de análise. A delimitação, organização e análise dos dados foi realizada a partir da orientação metodológica da pesquisa-ação por meio de três matrizes: Matriz Dialógico-Problematizadora (MDP), Matriz Temático-Organizadora (MTO) e Matriz Temático-Analítica (MTA). Os resultados apontam situações-limite no desenvolvimento tanto dos níveis técnico e prático quanto do emancipatório na fluência tecnológico-pedagógica. Conclui-se que a educação como prática da liberdade nos processos de formação e profissionalização docente é viável-possível quando a cultura da participação é paulatinamente problematizada e recodificada.


Texto completo:

PDF

Referências


ABEGG, I. DE BASTOS, F. P. MALLMANN, E. M. Tutoria e Monitoramento Eletrônico das Atividades de Estudo em Ambientes Virtuais de Ensino-Aprendizagem. In: XVI Congresso Internacional de Educação a Distância, Foz do Iguaçu, 2010. Anais do XVI Congresso Internacional de Educação a Distância, 2010.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação a Distância. Referências de qualidade para educação superior a distância. 2007. Disponível em: Acesso em: 27 jul. 2016.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação a Distância. Decreto n. 5.800, de 8 de junho de 2006. Dispõe sobre o Sistema Universidade Aberta do Brasil. 2006. Disponível em: Acesso em: 27 jul. 2016.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997.

FREIRE, P. Educação como Prática da Liberdade. 14. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987. 17. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FREIRE, P. e SHOR, I. Medo e ousadia-O cotidiano do professor. Rio de Janeiro: Paz e Terra,12ª ed. 2008.

KEMMIS, S. & McTAGGART R. Como planificar la investigación-acción. Barcelona: Laertes, 1988.

MALLMANN, E. M. Mediação pedagógica em educação a distância: cartografia da performance docente no processo de elaboração de materiais didáticos. Florianópolis: UFSC/PPGE, 2008. 304p. Tese de doutorado.

PAPERT, S.; RESNICK, M. Technological Fluency and the Representation of Knoledge. Proposal to the National Science Foundation. MIT MediaLab, 1995.

SCHNEIDER, D. R. MALLMANN, E. M. FRANCO, S. R. K. Fluência Tecnológica dos Tutores no Moodle: Potencial para Prática Dialógico-Problematizadora. Revista Em Rede. Porto Alegre: Unirede. v. 2, n. 2, p. 144-158, 2015. Disponível em: http://aunirede.org.br/revista/index.php/emrede/article/view/63. Acesso em: 20 abril 2017.




DOI: http://dx.doi.org/10.13037/ras.vol13n1.183

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Informática Aplicada - USCS/UFABC